Transtorno obsessivo‑compulsivo (TOC): Sintomas e causas

Transtorno obsessivo‑compulsivo: Sintomas e causas

A obsessão pode ser definida como pensamentos ou imagens intrusivos e recorrentes que uma pessoa percebe como indesejáveis ou desagradáveis dos quais tentar se livrar. O ato de tentar se livrar é a compulsão. O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é especificado pela seguinte sequência:

  1. surgimento de certos pensamentos que parecem surgir sem razão aparente;
  2. sentimento de que tais pensamentos são desagradáveis;
  3. urgência em suprimir ou expurgar tais pensamentos da mente e;
  4. urgência simultânea de aplacar esses pensamentos por meio de certos comportamentos compulsivos.

Tudo isso é parte do TOC e pode exercer uma influência sobre a maneira como pensamos e agimos.

Exemplos típicos de pensamentos obsessivos são os de que você:

  1. corra o risco de ser contaminado;
  2. não tenha percebido um erro;
  3. tenha inadvertidamente causado dano a alguém;
  4. tenha deixado algo inacabado;
  5. precise organizar as coisas de maneira específica;
  6. esteja prestes a dizer ou fazer algo inadequado.

A pessoa que sofre com o TOC vivencia os pensamentos desagradáveis como algo que está além do seu controle. Ela têm noção de que esse tipo de pensamento não faz sentido, ou seja, não é como os psicóticos, porém, não é capaz de dar menos importância aos pensamentos. Ela vai sempre sentir extrema necessidade de fazer alguma coisa, ou reagir buscando neutralizar ou satisfazer as obsessões.

Verificar as fechaduras das portas constantemente, lavar as mãos repetidamente, evitar qualquer contato com sujeira, perfeccionismo extremo em relação às tarefas, guardar objetos desnecessários ou buscar constantemente o apoio dos outros, são exemplos dessas compulsões. Os rituais mentais, como repetir um pensamento silenciosamente, substituir um pensamento indesejável por uma imagem ou invocar silenciosamente um pensamento que neutralize o outro, como rezar para se livrar da invasão de pensamentos constantes sobre coisas sobrenaturais consideradas malignas, também são exemplos de compulsão.

A pessoa reage dessa forma porque normalmente acredita que, se ela obedecer os impulsos, ou realizar os rituais, os pensamentos indesejados vão desaparecer da mente. Mas a realidade é que isso não acontece, ou, se acontece, é por pouquíssimo tempo, o que faz com que os impulsos se perpetuem.

Causas do TOC: Além da predisposição genética, há relatos científicos apontando que o índice mais alto de dano subcortical e níveis mais altos de hormônio estimulante da tireoide (TSH), podem desencadear as compulsões. Experiências da infância em que a criança ou causou dano ou acreditou que seus pensamentos tenham causado o dano, também contribuem para o surgimento do TOC. Outro fator que pode ser preditor do TOC é a influência de pais rígidos e perfeccionistas com crianças, que insistem em sobrecarregar a mente dos pequenos com responsabilidade exagerada para a idade deles.

A boa notícia é que o TOC tem tratamento e manejo com medicamentos e psicoterapia. Acesse o link abaixo e marque uma consulta de psicologia online.

Fonte: Livre de ansiedade. Robert R. Leahy. Artmed, 2011.